recent

'Em Ritmo de Fuga', novo filme de ação que mostra como se trabalha com a música no cinema

Ansel Elgort, vive 'Baby' o motorista mais invejado em 'Em Ritmo de Fuga' (Foto: Divulgação / Sony Pictures)

Aumente o som e se prepare, para cenas que vai tirar seu folego.

O filme que dirigido por Edgar Wright, é simples de se entender, porém reserva diversas surpresas durante duas horas de muita música, sim, é muita música. Baby (Ansel Elgort) é um ótimo motorista, extremamente excêntrico e escuta música o tempo todo para abafar o zumbido que um acidente de carro na infância o causou; com o seu ‘trabalho’ ele conhece diversas pessoas, diversos criminosos – dos mais variados tipos e Deb, a agora dos seus sonhos.

Você deve estar se questionando, o que então faz o filme ser tão especial, já que o roteiro segue o mesmo de um filme de ação? O Em Ritmo de Fuga, segue realmente uma estrutura básica de filme de ação, mas Wrigth trouxe o som ao seu favor, ele constrói uma narrativa com eles, juntando a ação e os movimentos de câmera.

Debora (Lily James) e Baby (Ansel Elgort), o par romântico de 'Em Ritmo de Fuga' (Foto: Divulgação / Sony Pictures)

Ele soube trabalhar tão bem com o som e a música, que temos momentos onde os personagens fazem o uso da cenografia para tocar a música – e não, ele não é um filme musical, ele é um filme de ação. Toca a canção “Debora” de T.Rex com as máquinas de lavar e “Harlem Suffle” de Bob & Earl, quando aparece os grafites. E a agulha da vitrola junto com os carros que Baby já dirigiu, se transforma em música, com as ranhuras do asfalto e não podemos deixar de comentar, as altas manobras que é regido com a batida do som – prestem atenção no segundo assalto.

O elenco de Em Ritmo de Fuga, também deve ganhar nosso destaque, todos muitos bem-humorados e em sincronia, deixa claro que todos eles estão encaixados em cada um dos seus personagens. Doc (Kevin Spacey) e seus capangas – Buddy (Jon Hamm), Griff (Jon Bernthal), Darling (Eiza González), Bats (Jamie Foxx), Eddie (Flea), mostram como se trabalha em sincronia e seus personagens chegam com diversas referencias. Já Lily James, que interpreta Debora, soube trabalhar e muito bem, mostrando a dose exata de romantismo que o filme tinha que ter e fazemos das palavras de Baby, nossas palavras:

Deb, esse mundo é meu. Me perdoa.


É entre carros, tiros e muita ‘falta de ar’ que Em Ritmo de Fuga, mostra uma experiência única a quem assiste a produção dentro de uma sala de cinema. E mesmo com uma estrutura básica dos filmes de ação ou até mesmo policial, mostrou uma grande evolução, com todos os personagens tendo uma reviravolta na história e um fim surpreendente.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.